O Candomblé e o Meio Ambiente

Nos tempos atuais o povo de axé deve começar a rever o seu papel perante o meio ambiente. Não só mais como perpétuo utilizador de seus recursos, mas também na preservação do mesmo.

O Candomblé não existe sem a natureza, sem o uso dos seus elementos e sem manipular as suas energias. Pois cada Orixá é responsável por um aspecto ou fatia em si da natureza.

O Candomblé é Natureza.

São poucos os adeptos do candomblé que possuem consciência ambiental ao usufruir dos mais diversos locais para culto. Sendo um grande defeito do ser humano achar que a natureza é infinita.

Não é mistério nem segredo para ninguém a necessidade de diversos locais naturais para a prática das diversas liturgias do candomblé. Isso está intrínseco na prática do Candomblé. Porém é um crime contra a natureza e um desrespeito aos próprios Orixás não cuidar e nem preservar o nosso meio ambiente. Sem contar que vivemos em um país plural culturalmente e religiosamente. Onde seremos sempre vigiados e criticados por não adeptos de nossa religião.

Devemos sempre ter cuidados ao frequentar uma cachoeira, rio, floresta, encruzilhada, estrada, ou qualquer outro lugar, principalmente público, para fazermos quaisquer que sejam os ritos necessários para nossa religião. Seguindo a grande máxima de que, devemos lembrar que ao sairmos dali outros irão utilizar daquele espaço para uso próprio ou religioso.

Sendo assim, devemos sempre que possível usar locais que são cuidados especialmente para a prática do candomblé, pois haverá pessoas para manter limpo e cuidar do ambiente sempre que algo seja feito. Não havendo a possibilidade nas proximidades que sejamos nós que façamos isso. Para que sempre que precisarmos, esses locais de culto esteja preservado, o meio ambiente esteja preservado.

Não há candomblé sem meio ambiente, sem natureza, sem locais de culto. Desta forma, devemos nos preocupar antecipadamente com os locais que iremos utilizar. Nos mobilizando para a sua manutenção, limpeza e devida preservação. Pois se queremos que nossas práticas sejam preservadas, devemos também corrigir nossa postura para com o meio ambiente.

Deixe uma resposta